Buscar
  • Perfurarte

O que é poço artesiano? Quais as principais diferenças em relação ao semi artesiano?

Atualizado: há 6 dias

Um poço artesiano é um poço tubular profundo feito no solo para fins de extração de água. A água que sai dele jorra naturalmente, por isso ele também é chamado de poço jorrante. Essa seria a principal diferença em relação a um poço semi artesiano, por exemplo, mas existem também outras definições populares. Entenda abaixo



Um poço artesiano é um poço tubular profundo e vertical feito no solo para fins de extração de água. A água que sai dele jorra naturalmente, por isso, ele também é chamado de poço jorrante.


Tecnicamente, somente um poço jorrante recebe o nome de artesiano. Essa seria a principal diferença em relação a um poço semi artesiano, por exemplo.


No entanto, existem também definições populares sobre poços artesianos e semi artesianos muito diferentes, e é aí que as coisas ficam confusas.


Neste artigo, você pode descobrir:


  • O que significa poço artesiano;

  • A definição popular de poço artesiano e semi artesiano;

  • A principal diferença entre poço artesiano e semi artesiano;

  • De onde vem a água dos poços artesianos;

  • Se a água de poços artesianos é boa para consumo humano;

  • Quem faz poço artesiano;

  • Como saber se tem água antes de perfurar um poço artesiano;

  • Como funciona a perfuração de poços artesianos;

  • Qual é a profundidade ideal de um poço artesiano;

  • Como funciona a legislação para poços artesianos;

  • Quanto custa a perfuração de um poço artesiano.


O que significa poço artesiano?


O nome “artesiano” data do século XII, mais precisamente de um poço desse tipo construído na cidade francesa de Artois, ou Artésia, em 1126.


Curiosamente, o poço artesiano não surgiu na França. Esse tipo de poço é muito mais antigo: há indícios de que os chineses realizavam perfurações como essa em 5.000 aC.


Definição técnica de poço artesiano e semi artesiano


Todo poço que perfura o solo para captação de água é chamado de poço tubular profundo. Essa é uma obra de engenharia que deve obedecer às normas 12212 e 12244 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), e ser regularizado por lei.


Tecnicamente, um poço tubular profundo é classificado de semi artesiano quando, depois de perfurado, necessita da instalação de um conjunto de bombeamento para se extrair água dele. Poços semi artesianos costumam ter entre 20 e 60 metros.


Já um poço artesiano, ou jorrante, é aquele que, uma vez perfurado, a pressão da água é suficiente para a sua subida à superfície, e é por isso que ela jorra do poço de forma natural.

Poços artesianos jorrantes, no entanto, são muitíssimo raros. A maioria dos poços profundos precisa de um conjunto de bombeamento para captar água.


Qual é a diferença entre poço artesiano e semi artesiano?


Explicamos que a definição técnica de poço artesiano e semi artesiano leva em conta apenas o fato de ele jorrar água naturalmente.


Popularmente, no entanto, quando a profundidade de um poço é maior do que 60 metros e a água extraída dele vem de uma camada de rocha, e não do solo, ele também é conhecido como poço artesiano.


Muitas vezes, quando as pessoas pesquisam por poços semi artesianos, elas estão na verdade em busca de poços rasos, de até 20 metros. São poços com captação de água do lençol freático, em uma camada do solo muito próxima da superfície.


E o poço caipira?


Poços rasos, geralmente de até 20 metros, são chamados de caipiras quando são perfurados manualmente. Este tipo de poço também é conhecido como cacimba ou cisterna.


De onde vem a água dos poços artesianos?


Esta é uma questão muito importante, e depende principalmente da profundidade do poço.


A água pode ser captada do lençol freático ou de um aquífero, em camadas de solo rasas ou camadas rochosas profundas. E tudo isso pode impactar na quantidade e na qualidade da água.


Poços rasos


A água de um poço raso, de até 20 metros, vem da “superfície” – assim chamada porque ela é captada da primeira camada do solo, geralmente água de chuva.


Poços rasos são sujeitos a condições climáticas e a presença de água ou umidade nessa camada. Por exemplo, em épocas de seca, a água do poço pode diminuir drasticamente e até secar.


Outra grande desvantagem é que a água de superfície é, na maioria dos casos, contaminada. Por exemplo, se houver plantações ou criações de animais nas proximidades do poço, o uso de agrotóxicos ou a presença de esterco podem contaminar o solo do qual o poço extrai sua água.


Em outras palavras, poços rasos frequentemente são impróprios para consumo humano. Sua água é mais útil para limpeza de galpões ou vias públicas, irrigação, combate a incêndio etc.

Uma vez que se trata de um poço de construção relativamente simples com uma média de 10 centímetros de diâmetro, o equipamento utilizado para sua construção é pequeno. Ele é perfurado com máquinas movidas a gasolina ou elétricas que ocupam cerca de 4 metros quadrados.


Poços semi artesianos


A água de um poço semi artesiano entre 20 e 60 metros costuma vir do lençol freático, da mesma forma que um poço raso, mas já não é mais considerada água de superfície.


Uma vez que a perfuração ultrapassa a primeira camada do solo, de cerca de 20 metros, se o poço for revestido, a água geralmente é mais segura do que a de um poço simples.


Poços artesianos


Já um poço artesiano com mais de 60 metros alcança uma camada rochosa do solo, ou seja, formada por algum tipo de rocha, seja ela cristalina, como o granito, ou sedimentar, como o arenito.


Este tipo de poço pode ter até 2.000 metros de profundidade, mas normalmente possui entre 100 a 600 metros. A captação de água vem de um aquífero.


Uma vez que o poço é perfurado, no geral, somente aquela primeira camada de solo, de cerca de 20 metros, é revestida com algum material impermeabilizante (uma tubulação de plástico ou aço, por exemplo). Esse revestimento é cimentado, de forma que não haja possibilidade de qualquer água contaminada cair no poço.


Já a água captada dos aquíferos é filtrada naturalmente pela rocha e por sedimentos, logo, raramente é imprópria para consumo - exatamente o contrário do poço caipira ou raso.


Dificilmente a água dessa camada mais profunda precisa de tubulação e, no geral, tem uma pureza microbiológica maior e com mais sais minerais, sendo frequentemente adequada para consumo humano e muito utilizada em residências, condomínios e empresas.


Por fim, por se tratar de um poço mais complexo, sua construção necessita de maquinário específico capaz de perfurar rochas, ocupando o espaço de pelo menos dois caminhões, ou uma área de pelo menos 7 metros de largura. Logo, a construção precisa ser localizada em uma região que comporte tal maquinário.


A água de poços artesianos é destinada a consumo humano?


A água subterrânea captada de um aquífero geralmente apresenta características biológicas, físicas e químicas destinadas ao consumo humano, ou seja, é normalmente seguro bebê-la.


No entanto, é importante realizar testes de potabilidade antes.


Também é necessário fazer uma análise bacteriológica da água, atendendo aos padrões exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


Quem faz poço artesiano?


A perfuração de poços tubulares profundos é uma atividade especializada.


Qualquer empresa que faz poço artesiano precisa ter funcionários capacitados, incluindo geólogos ou engenheiros capazes de realizar os estudos técnicos exigidos pela legislação e registrados no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia).


Também é ideal que empresas de perfuração tenham equipamentos tecnológicos modernos, capazes de atender diferentes necessidades.


Como saber se tem água antes de perfurar um poço artesiano?


Infelizmente, não existe garantia absoluta de encontrar água, e o risco da perfuração é do cliente. No entanto, existem alguns métodos que podem diminuir bastante esse risco.


Existem duas técnicas mais conhecidas para escolher a melhor localização para um poço, ou seja, o ponto com maiores chances de se encontrar água: pesquisa geofísica e radiestesia.


Ambas precisam estar ancoradas em um bom mapeamento hidrogeológico. Em outras palavras, antes de se definir a localização de um poço, é importante conhecer as características hidrogeológicas da região. Boas empresas têm esse conhecimento.


Como funciona a perfuração de poços artesianos?


A máquina que realiza a perfuração é chamada de perfuratriz. Dependendo do tipo e qualidade da rocha e da profundidade do poço, três principais métodos de perfuração podem ser utilizados: percussivo, rotopneumático ou rotativo.


Você pode saber mais sobre como poços artesianos são feitos aqui.

Qual é a profundidade ideal de um poço artesiano?



Embora poços artesianos possam variar de 20 a mais de 2 mil metros, sua profundidade total ou ideal vai depender de uma série de fatores, incluindo a vazão de água buscada pelo cliente e a geologia do local.


Geralmente, poços com mais de 60 metros possuem água de melhor qualidade, mas isso não significa que 60 metros sejam suficientes para se encontrar água em determinados terrenos.


Por exemplo, na região sul de Minas Gerais, a água costuma ser encontrada em torno dos 100 metros, e um contrato padrão com uma empresa de perfuração pode levar em conta essa profundidade. Já em Barueri (SP), a profundidade média é de 300 metros. Você pode saber mais sobre profundidade média de poços artesianos em São Paulo e Minas Gerais aqui.


Vale observar que a profundidade média não equivale sempre a uma boa vazão de água. Muitas vezes, se o cliente precisa de muita água por dia, o poço tem que ser mais fundo.


É importante lembrar que nunca há garantia de se encontrar água - seja com 20, 60, 100, 200, 300 ou mais metros. Um poço muito profundo ainda pode ser seco.


Legislação: como ter um poço artesiano dentro da lei


Vale lembrar que todo tipo de poço - seja ele caipira, semi artesiano ou artesiano - precisa ser regularizado, caso contrário, é considerado clandestino e fica sujeito à multa e interdição.


Poços clandestinos também podem ser considerados crimes ambientais, e sujeitos à multa e até detenção.


Empresas de perfuração sérias realizam o processo de regularização junto a seus clientes, ou seja, solicitam a licença ambiental de perfuração antes da construção do poço, e a outorga de uso da água ao final da obra, se necessário.


Quanto custa a perfuração de um poço artesiano?


O custo total de um poço artesiano dependerá de quantos metros foram perfurados, do conjunto de bombeamento e do tipo de material de revestimento escolhido pelo cliente.


Entenda o valor de cada um desses itens e conheça a média de preço por metro de um poço artesiano aqui.


Quer saber mais sobre poços artesianos regularizados? Entre em contato conosco ou peça um orçamento!

LEIA TAMBÉM: 5 vantagens de se ter um poço artesiano

2,239 visualizações

Endereços

Sede Pouso Alegre: Rua Cel. Brito Filho, 1930/15B. Fátima I. Pouso Alegre/MG

(35) 99722-4138

São Paulo/SP: Avenida Juscelino Kubitschek, 1455. 4º andar. Vila Olímpia

(11) 96369-2837

Telefones:

0800-591-1812

E-mail

contato@perfurarte.com.br

Perfurarte • 2020