top of page
  • Foto do escritorPerfurarte

Como saber se tem água antes de perfurar um poço artesiano?

Atualizado: 5 de out. de 2023

Para saber se um poço dará água, é preciso fazer um estudo da região com dados geológicos e imagens de satélite. Você pode também usar técnicas capazes de determinar o melhor local para a perfuração. Conheça os principais métodos


Poço artesiano jorrando água

Saber se um poço artesiano vai dar água não é uma questão tão simples de se resolver. Infelizmente, em nenhum tipo de perfuração existe garantia de encontrar água. Logo, você precisa escolher se quer correr este risco.


No entanto, existem alguns métodos que podem aumentar bastante suas chances de sucesso.


Antes de furar um poço, o ideal é contratar uma empresa para fazer um bom projeto técnico, baseado na experiência de seus funcionários e em técnicas confiáveis para decidir a melhor localização para um poço.


É muito importante contar com esses dados coletados ao longo do tempo, para dar um embasamento à sua escolha.


Além disso, existem dois métodos bem conhecidos, ambas ancorados em um mapeamento hidrogeológico, que podem lhe ajudar a determinar as chances de um poço ter água.


Saiba como funciona o mapeamento hidrogeológico e os métodos mais famosos de locação de poço artesiano:


Como saber se um poço vai dar água?


O primeiro passo é fazer um estudo da região, ou seja, uma análise dos poços já perfurados na área e de imagens de satélite. Em seguida, se você quiser mais assertividade, pode contratar um método de locação para fazer a detecção provável de água no subsolo.


Veja abaixo como funcionam cada um desses passos:


Primeiro passo: mapeamento hidrogeológico


A hidrogeologia é o estudo do movimento, volume, distribuição e qualidade das águas subterrâneas.


Cada região (cidade ou bairro) do país tem uma composição de solo e fluxo de água subterrânea diferente.


Logo, antes de realizar uma obra, é importante que a empresa conheça a hidrogeologia da região. Isso vai mostrar quais desafios podem ser encontrados durante a perfuração, se há alterações na rocha etc.


Além disso, imagens de satélite, análises do terreno e de outros poços nas proximidades também podem ajudar a determinar o melhor ponto para a perfuração.


A análise de fotografias aéreas ou de imagens de satélite, por exemplo, auxilia principalmente no caso da perfuração em rochas cristalinas, uma vez que podem mostrar formações rochosas que representam o alinhamento das fraturas onde há armazenamento de água subterrânea.


Segundo passo: técnicas de locação


Conhecendo as características hidrogeológicas da região, o objetivo é escolher o melhor local para perfurar um poço a fim de encontrar o maior volume de água em menor profundidade.


Existem dois métodos principais para fazer essa locação e determinar o ponto exato no qual o poço será perfurado:


Pesquisa geofísica

O método geofísico é comprovado cientificamente. É uma leitura do subsolo capaz de indicar as entradas de água e sua profundidade.


A principal tecnologia geofísica utilizada para a locação de poços é a eletrorresistividade. Nela, correntes elétricas percorrem o substrato rochoso e geram leituras de resistividade.


Tanto a água quanto cada tipo de rocha reagem de forma diferente quando submetidas à passagem de corrente elétrica. Através dessas leituras, é possível determinar onde tem rocha e onde tem água, ou pelo menos uma fratura onde pode haver água.


A pesquisa geofísica tem um custo - a partir de R$ 10 mil -, mas a segurança que traz pode valer o investimento. De acordo com profissionais do ramo, a taxa de acerto é de até 85%.


Radiestesia

Esse método não é comprovado cientificamente, mas é bastante utilizado.


Radiestesia (ou radioestesia) é a sensibilidade que algumas pessoas possuem a determinadas radiações, como energias emitidas por seres vivos e elementos da natureza.


Assim, um radiestesista pode usar um objeto (um bastão, um pêndulo ou até um galho de goiabeira) para “sentir” a energia da água e determinar o local exato para se perfurar um poço.


Existem radiestesistas conhecidos, como o senhor Valdir Briani (imagem acima), que dizem ter taxas de sucesso de cerca de 90%. Esse procedimento também tem um custo, geralmente a partir de R$ 2.500.


Vale lembrar que mesmo radiestesistas podem (e devem) realizar um levamento hidrogeológico da região primeiro. Conhecendo as características e possíveis localidades para fraturas, eles podem percorrer o terreno e determinar onde é mais provável haver veios de água.


Independentemente do método, a localização escolhida para um poço sempre precisa suportar o maquinário necessário para a perfuração. Ou seja, tem que haver espaço para os caminhões passarem.

Tem mais dúvidas ou gostaria de um orçamento para um poço artesiano de qualidade? Entre em contato conosco! Será um prazer ajudá-lo.

94.007 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo

4 Kommentare


clovisalbertomarin
18. Okt. 2023

Excelentes esclarecimento com objetividade.sou amante do assunto, tendo fortíssima energia corporal para marcar poços.Parabens


Gefällt mir

j.o.loureiro
01. Jan. 2022

Boa noite eu mandei prefira um poço na minha chácara cavei 120metros de profundidade e não deu agua o que devo fazer?

Gefällt mir

Bruno Corcioli
Bruno Corcioli
04. Dez. 2021

Ótimo trabalho, para quem deseja obter água de qualidade e tratada após a perfuração do poço, a B3 Filtros possui uma linha completa de produtos para retirar a turbidez (água turva) odor, ferrugem, areia, manganês, detritos, etc. Acesse Agora: http://www.b3filtros.com.br

Gefällt mir

Maria das Dores Santos
Maria das Dores Santos
31. Juli 2021

Muito legal gostei das

Gefällt mir
bottom of page