WhatsApp
Buscar
  • Perfurarte

Conheça as normas técnicas obrigatórias para a construção de poços artesianos

A construção e utilização de poços artesianos precisa obedecer à lei federal 9.433/97, bem como seguir duas normas técnicas da ABNT: a 12212 e a 12244. Saiba o que isso significa



A construção de poços artesianos é considerada uma obra de engenharia. Logo, ela precisa seguir normas técnicas da ABNT.


Embora essas normas se apliquem apenas a “poços tubulares para a captação de água subterrânea”, é importante lembrar que não são apenas os poços profundos perfurados com máquinas especializadas que precisam obedecer à legislação federal e estadual.


Qualquer poço que capte água do subsolo, incluindo os poços caipiras ou mini poços, precisa obter autorização para ser construído.


Se a água do poço for destinada a consumo humano, no entanto, é muito importante que ele seja construído dentro das normas, para evitar a captação de água contaminada. Logo, o poço tubular é mais recomendado.


Quais leis estão envolvidas na construção e utilização de poços artesianos?


Poços artesianos fazem parte da Política Nacional de Recursos Hídricos, instituída pela lei federal 9.433/97.


Essa lei determina que perfurar ou operar poços artesianos sem as devidas autorizações dos órgãos ou entidades competentes é infração, bem como desobedecer às normas legais e regulamentares.


Outra lei federal que se aplica é a 9.605/98, que trata das consequências previstas para atividades prejudiciais ao meio ambiente. Poços construídos sem autorização podem ser considerados crimes ambientais.


As consequências variam de advertência, multa e interdição até pena de detenção de um a seis meses.


Na prática, o que eu preciso fazer para ter um poço artesiano legalizado?


As leis federais mencionam autorizações para perfurar e usar a água de poços artesianos.


Essas autorizações são concedidas por órgãos estaduais. Por exemplo, em Minas Gerais, quem cuida disso é o IGAM (Instituto Mineiro de Gestão das Águas). Em São Paulo, o DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica).


Para estar em conformidade com a lei, é preciso:


  • obter autorização para perfurar um poço artesiano junto ao órgão estadual competente, uma responsabilidade da empresa de perfuração, antes do início da obra;

  • no caso do tubular, construir o poço dentro das normas técnicas adequadas, ou seja, as normas 12212 e 12244 da ABNT, uma responsabilidade da empresa de perfuração;

  • obter outorga do uso da água junto ao órgão estadual competente, uma responsabilidade do proprietário do poço.


Normas técnicas para construção poço artesiano: o que elas determinam


A construção de poços artesianos precisa adotar as seguintes normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT):


  • 12212, que estabelece os requisitos para a elaboração de projeto de poço para captação de água subterrânea;

  • 12244, que estabelece os requisitos para a construção de poço para captação de água subterrânea, ou seja, os procedimentos técnicos para uma extração de água segura, eficiente e sustentável.


Norma técnica 12212


A norma técnica 12212 determina os elementos necessários para a elaboração de um projeto de poço artesiano.


Antes de perfurar um poço artesiano, é preciso reunir informações importantes, como a necessidade de água do cliente, a quantidade de poços que já existem na região e o potencial hidrogeológico da área.


Em outras palavras, a empresa de perfuração precisa fazer um estudo, levantando dados como a formação do solo, a provável composição físico-química da água, potenciais áreas de risco de contaminação etc.


Esses dados podem ser estimados, por exemplo, através de mapas hidrogeológicos e de poços existentes nas proximidades, e ajudarão os profissionais a prever possíveis problemas e soluções.


Essa norma também estabelece requisitos específicos que deverão ser seguidos na construção, como o diâmetro da perfuração, o selamento e a construção de laje de proteção sanitária.


Por exemplo, a norma indica o diâmetro mínimo e máximo para o poço, e faz recomendações diferentes para a perfuração em formação sedimentar ou rochosa.


Essas recomendações devem ser seguidas por inúmeras razões, desde as mais simples, como respeitar o espaço necessário para a colocação de filtros e conjunto de bombeamento, até as mais complexas, como adequação à vazão e disponibilidade hídrica do poço.


Norma técnica 12244


Já a norma técnica 12244, que segue todas as definições da norma 12212, prevê os passos e atividades a serem cumpridos durante a perfuração.


Isso vai desde a elaboração do cronograma da obra e da preparação correta do canteiro de obras até as recomendações e exigências para a perfuração e etapas complementares, como selamento, desinfecção, construção da laje de proteção sanitária e elaboração de relatório.


Pode parecer apenas burocracia, mas é muito importante que a empresa siga todas as determinações da norma técnica.


Por exemplo, a etapa de colocação do tubo de revestimento e a etapa de selamento entre esse tubo e a parede do poço, que deve ter espessura mínima de 75mm, evita tanto desmoronamento quanto a contaminação da água por camadas superficiais do solo.


Muitos dos problemas observados em poços artesianos são problemas de construção, ou seja, de poços mal feitos, fora das normas. É por isso que você deve sempre procurar uma empresa de perfuração confiável.


Quer saber mais? Entre em contato conosco ou peça um orçamento de um poço artesiano totalmente legalizado!
215 visualizações0 comentário

Endereços

Sede Pouso Alegre: Rua Cel. Brito Filho, 1930/15B. Fátima I. Pouso Alegre/MG

(35) 99722-4138

São Paulo/SP: Avenida Juscelino Kubitschek, 1455. 4º andar. Vila Olímpia

(11) 96369-2837

Telefones:

0800-591-1812

E-mail

contato@perfurarte.com.br

Perfurarte • 2020