WhatsApp
Buscar
  • Perfurarte

Poço artesiano misto: o que é e quais são os riscos

Um poço artesiano misto é um projeto feito para captar água de duas formações diferentes: a sedimentar e a rochosa. Entenda as características de cada tipo de formação e como elas podem afetar a perfuração de um poço artesiano


Infográfico que mostra a captação de água de poços artesianos em formação rochosa cristalina; a captação mista em formação sedimentar e rochosa; e a captação em formação sedimentar.

Você sabia que cada região possui uma formação geológica diferente? Assim, ao perfurar um poço artesiano, você pode encontrar composições diferentes.


Normalmente, ao perfurar um poço, a tendência é encontrar dois tipos principais de formações: a cristalina, também chamada de magmática, como granito, basalto e diorito, ou a sedimentar, formada pelo acúmulo de sedimentos, como arenito, argila e calcário.


Um poço perfurado em rocha cristalina tem características diferentes de um poço perfurado em formação sedimentar. O mesmo acontece com o poço misto, que é projetado para captar água de ambas as formações.


Abaixo, entenda como funciona a perfuração e captação de água em cada um desses tipos de formações, e conheça os riscos de poços artesianos mistos.


Poço artesiano em rocha sedimentar


O poço artesiano sedimentar é perfurado em uma formação sedimentar. Os sedimentos, que se acumulam ao longo de muito tempo, possuem “espaços” que favorecem a formação de aquíferos, nos quais a água se infiltra.


Poços com paredes sedimentares costumam ser “frágeis” (arenosos ou porosos), de forma que é necessário revesti-lo totalmente para que não desmorone.


Além disso, o poço sedimentar exige a instalação de filtros, para evitar que a água captada venha com sedimentos.


Poço artesiano em rocha cristalina


O poço artesiano perfurado em rocha cristalina, por sua vez, capta água das fraturas existentes nessa formação rochosa.


Para chegar à rocha, no entanto, a perfuração normalmente atravessa uma camada superficial de sedimento. Essa camada é muito próxima à superfície – estamos falando de até 20 metros. Por conta disso, é preciso revestir parcialmente esse poço, até que se alcance o topo da rocha (e isso é lei).


Neste espaço revestido, é necessário também fazer uma cimentação para evitar qualquer tipo contaminação vinda da superfície (como escoamento de agrotóxicos ou fossas nas proximidades, por exemplo).


A perfuração em rocha cristalina é mais em conta do que a sedimentar, justamente porque este tipo de poço não precisa ser totalmente revestido e não costuma levar filtros.

Poço artesiano misto


O poço artesiano misto é aquele projetado para captar água dos dois tipos de formação: a sedimentar e a rochosa.


Neste caso, a camada inicial de sedimentos não é cimentada. Ao invés disso, são colocados filtros para que a captação da água ocorra desde a camada sedimentar até a rochosa.


Esse tipo de poço não é muito recomendado, no entanto. Ele só é aconselhado em regiões com escassez de água, de forma que se possa aproveitar a reserva subterrânea mais superficial também, normalmente contraindicada pelo alto risco de contaminação.


Lembre-se: poços sedimentares captam água de aquíferos, não das primeiras camadas de sedimentos. Estas são sujeitas a contaminação por vários fatores, como agrotóxicos no solo ou fossas próximas, por exemplo.


Além de arriscado - a água pode ter que ser tratada quimicamente -, esse tipo de perfuração é mais caro por exigir a instalação de pré-filtros e filtros, da mesma forma que o poço sedimentar.


Fique atento: poços artesianos mistos são raros


Conforme explicamos, o poço artesiano misto é raro. É um projeto que precisa ser bem pensado desde o início, por se tratar de um tipo de perfuração incomum que pode apresentar problemas, como água contaminada.


Infelizmente, algumas empresas de perfuração vendem poços artesianos de captação rochosa, mas acabam entregando poços de captação mista sem instalarem filtros, o que prejudica a qualidade e até mesmo a quantidade da água extraída.


O maior perigo é você ficar sem a captação rochosa, com uma captação somente superficial, que não está sendo tratada.


Cada região tem uma hidrogeologia diferente, mas, normalmente, para se alcançar água em formações rochosas, é preciso ultrapassar 60 a 80 metros de profundidade. Digamos que, se você tiver um poço “misto” com menos de 80 metros, ao invés de uma captação de água mista, ela pode ser apenas superficial.


Para não correr esse risco, tenha em mente que um poço artesiano misto é uma solução alternativa, radical, desenhada para combater escassez de água.


Além disso, procure sempre empresas sérias que trabalhem dentro da legislação e tenham registro no CREA. Veja aqui algumas dicas para fazer a escolha certa.


Como saber que tipo de formação será encontrado em meu terreno?


Antes da perfuração, a empresa irá realizar um estudo hidrogeológico da região a fim de ter uma noção do tipo de formação que será encontrado.


Como já existem poços perfurados por todo o país, é possível ter uma boa ideia da composição de um poço em determinada região.


No sul de Minas Gerais, por exemplo, há em média 28 metros de camada sedimentar, seguida de camada rochosa. Sendo assim, o poço é normalmente rochoso.


Já em São Paulo, na região metropolitana de Sorocaba, podem ser perfurados tanto poços de formação rochosa quanto sedimentar – em algumas localidades, a camada sedimentar chega a 120 metros, por exemplo.


Tem mais dúvidas? Fale conosco! Será um prazer atendê-lo!
292 visualizações0 comentário

Endereços

Sede Pouso Alegre: Rua Cel. Brito Filho, 1930/15B. Fátima I. Pouso Alegre/MG

(35) 99722-4138

São Paulo/SP: Avenida Juscelino Kubitschek, 1455. 4º andar. Vila Olímpia

(11) 96369-2837

Telefones:

0800-591-1812

E-mail

contato@perfurarte.com.br

Perfurarte • 2020