Buscar
  • Perfurarte

Como funciona e qual a importância da análise físico-química e bacteriológica da água


Coletando amostra de água de poço artesiano

Antes de utilizar a água de um poço artesiano, é muito importante fazer uma análise físico-química e bacteriológica da água. Isso vai mostrar se a água é boa para consumo, ou seja, se é considerada potável e segura ou se precisa de tratamento.


A água potável é aquela que que não oferece riscos à saúde, bem como atende ao padrão de potabilidade estabelecido pela legislação.


Normalmente, a água de poços tubulares profundos é potável. Ainda assim, é essencial analisá-la antes de consumi-la.


Além de não haver garantias, existem muitas ameaças invisíveis que precisam de exame para serem encontradas – como bactérias, por exemplo.


O que diz a legislação?


A legislação sobre poço artesiano varia de acordo com o estado brasileiro. Em muitos casos, contudo, a análise físico-químico-bacteriológica é necessária para obter a outorga, ou seja, para poder utilizar a água do poço.



Ou seja, para pessoas físicas. é preciso realizá-la quando se pede ou quando se renova uma outorga.


No caso de pessoas jurídicas, a análise deve obedecer a um calendário específico, além de um pouco mais complexa.


No geral, uma análise simples, semelhante àquela feita para a outorga, precisa ser realizada mensalmente, com coleta em três pontos diferentes: na saída do poço, no reservatório e no ponto de consumo (pode ser um bebedouro, uma torneira do banheiro ou da cozinha, um chuveiro etc).


E, semestralmente, é necessário realizar uma análise mais completa com mais parâmetros, atendendo a Portaria de Consolidação Nº 5 do Ministério da Saúde, de 28 de setembro de 2017.


Por fim, é preciso ter cadastro junto à Vigilância Sanitária do munícipio onde fica o poço.


Como funciona a análise físico-química e bacteriológica


Primeiro de tudo, vale esclarecer que somente um laboratório credenciado pode realizar a análise. Uma vez que esse processo é delicado, é o laboratório que deve fazer a coleta da água, para evitar contaminação cruzada.


Outro ponto importante é que a água destinada a consumo humano não é somente aquela que é ingerida: a água utilizada para higiene pessoal, preparo de alimentos e piscina, por exemplo, também precisa ser potável.


Somente água para irrigação, lavagem de chão e outros fins não potáveis é que pode ficar de fora dessa análise.


A avaliação indica diversos parâmetros da água, sendo alguns dos principais:


  • Físicos, como cor e turbidez;

  • Químicos, como cloro livre e pH;

  • Microbiológicos, como contagem de bactérias heterotróficas, coliformes totais e E. coli;

  • Organolépticos, como sabor, odor e aspecto.


Ao conhecer as características da amostra - como presença de cor, presença de contaminantes como bactérias ou qualquer outra substância que interfira no consumo -, é possível definir se a água é adequada para consumo ou se algum tratamento é necessário.


Vale observar que a água destinada a consumo humano sempre precisa ser tratada com um mínimo de cloro para ser considerada segura.


Quanto custa a análise da água?


O valor é variável. Geralmente, uma análise simples custa em torno de R$ 200, enquanto uma análise mais completa custa em torno de R$ 2.000, por poço artesiano.


Tem mais dúvidas? Fale conosco! Será um prazer atendê-lo.

3,399 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
WhatsApp